Biotecnologia em Sistemas Fisiológicos

Esta Área está relacionada com o estudo de fenômenos moleculares, teciduais e sistêmicos de organismos vivos. O interesse nas bases moleculares destes sistemas visa o estudo de células, tecidos, órgãos e organismos para entender melhor o seu desenvolvimento e função, assim como o desenvolvimento de patologias que acometem esses organismos. Logo, utilizando estes conhecimentos, contribuir para aplicações que possam levar ao desenvolvimento de estratégias de cura de doenças, como através da engenharia tecidual, da biofabricação, ou utilizando conhecimentos obtidos através de estudos de fisiologia molecular. Um especial enfoque desta Área é o uso e o desenvolvimento de modelos experimentais.

 

1 Linha de Pesquisa de Engenharia Tecidual, Biofabricação e Biomateriais

Esta Linha de Pesquisa visa o desenvolvimento de tecidos e órgãos completos para transplantes, a inovação científico-tecnológica na área de engenharia tecidual e biomateriais para serem utilizados como fatores indutores da regeneração dos tecidos. Os biomateriais produzidos terão suas propriedades químicas, mecânicas e morfológicas caracterizadas e os fenômenos biológicos relacionados às suas aplicações no setor biomédico também serão investigados. Paralelamente, esforços serão investidos no sentido de se aprimorar e desenvolver novas técnicas de biofabricação. Desta forma pretendemos contribuir para autonomia brasileira na produção de dispositivos biomédicos, próteses, órteses e implantes derivados de materiais e técnicas desenvolvidos nesta linha. Consta ainda dessa linha de pesquisa a caracterização de fontes de células tronco/progenitoras a serem utilizadas per se ou adicionadas aos biomateriais.

Integrantes:  Luciane Capelo.

 

2 Linha de Pesquisa de Fisiologia Molecular e Modelos Animais

Esta linha de pesquisa está relacionada com o estudo da fisiologia de organismos modelo com o intuito de desenvolver aplicações benéficas para a saúde, agricultura e meio ambiente.Esta linha de pesquisa se focará na utilização e criação de modelos animais e vegetais que venham a proporcionar um melhor entendimento de processos fisiológicos e das perturbações que induzem processos patológicos. A modificação genética tecido-específica nos ajudará igualmente a entender como diferentes tecidos e sistemas interagem no controle de processos fisiopatológicos e adaptativos.

Integrantes: Flávio Aimbire, Marcelo Mori, Ileana Gabriela Sanchez de Rubio, João Bosco Pesquero.