Uma parte de mim

é todo mundo.

Outra parte é ninguém:

fundo sem fundo.

Uma parte de mim

almoça e janta:

outra parte se espanta.

Traduzir uma parte

na outra parte,

que é uma questão

de vida ou morte,

será arte?

 

Ferreira Gullar.

[youtube http://www.youtube.com/watch?v=sMoKcsN8wM8]